Chapada dos Veadeiros – Tudo o que você precisa saber para a sua viagem.

0 88

- Advertisement -

Chapada dos Veadeiros – Goiás

Eu não tenho certeza sobre o destino de aventuras, ecoturismo, de contato com a natureza eu prefiro no Brasil, mas certamente a Chapada dos Veadeiros está entre os três que eu mais gosto.

Se você gosta de cachoeira, lugar roots, gente simples, comida caseira, misticismo, forró, tranquilidade e muita aventura, você precisa conhecer a região da Chapada dos Veadeiros.

Esse é um post completão com todas as informações que você precisa para curtir a região da Chapada dos Veadeiros. Caso você tenha vindo até aqui atrás de uma informação específica, basta clicar no índice abaixo.

SOBRE

A Chapada dos Veadeiros não é uma cidade, é uma região que abrange diversas cidades e onde foi criado em 1961 o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, no governo do Presidente Juscelino Kubitschek.

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros está localizado a nordeste do Estado de Goiás entre os municípios de Alto Paraíso de Goiás (a mais famosa), Cavalcante, Teresina de Goiás, Nova Roma e São João D’aliança. Se você já ouviu falar da Vila de São Jorge e sentiu falta do nome dela aqui, nós vamos falar dela em “Onde se hospedar” na Chapada.

Mirante da Janela

Além das belezas naturais da região, com um sem fim de cachoeiras, Alto Paraíso de Goiás também é muito buscada como destino místico, por ter abundante aflorações de quartzo, que segundo estudiosos do misticismo faz do lugar um centro de concentração de energia, além do fato da cidade ser cortada pelo Paralelo 14S, o mesmo que passa por Machu Picchu.

Leia também: O jeito de ser Carioca.

O parque fica localizado em uma região de cerrado, com rica fauna e flora, além das riquezas minerais. Mas uma das maiores riquezas da região é a água, pois a Chapada é um importante centro dispersor de drenagem das águas da chuva.

Apesar da importância natural da região, o Parque sofre constantes ameaças à frágil diversidade das suas espécies, por conta da pressão econômica, sobretudo por fazendeiros de soja ao redor da área de proteção.

COMO CHEGAR NA CHAPADA DOS VEADEIROS

Vamos usar como referência a cidade de Alto Paraíso de Goiás, que é a maior da região, com melhor infra-estrutura e que pode ser usada como base para todos os passeios. Mas em Onde se hospedar, vamos falar de todas as opções da região.

A cidade grande mais próxima de Alto Paraíso é Brasília, que fica a 237 km de distância.

Avião + Carro alugado: 

Você pode chegar a Brasília em vôos vindos de praticamente todas as grande cidades do Brasil, afinal de contas estamos falando da capital do país. As três grandes companhias aéreas nacionais operam no aeroporto.

Alugando um carro em uma das muitas locadoras que existem no aeroporto você liga o GPS e não terá grandes dificuldades para sair da cidade por algumas vias expressas.

A estrada até Alto Paraíso de Goiás, embora seja em sua maior parte de mão dupla, é muito bem asfaltada e bem sinalizada.

Avião + ônibus: 

Você pode chegar à capital do país de avião, ir até a Rodoviária Interestadual de Brasília e lá pegar um ônibus da Real Expresso até Alto Paraíso de Goiás. As saídas são às 10h da manhã e às 21h, o valor da passagem é de aproximadamente R$50 e você pode obter mais informações no site da companhia.

Aplicativos de carona:

Uma alternativa, caso você queira um pouco mais de conforto, mas não queira alugar um carro, é usar aplicativos de carona como o Bla Bla Car ou buscar grupos de carona no Facebook, como o Conexão Chapada e o Carona Solidária Chapada dos Veadeiros e se informar sobre preços atualizados.

Carro particular: 

Se você já mora em Brasília, Goiânia ou outra cidade próxima e queira viajar com o seu carro particular, recomendo somente se ele não for um carro de perfil baixo. Não precisa, necessariamente ser uma pick-up, mas um carro mais elevado, pouco peso e ter cuidado com valas e buracos.

A estrada até Alto Paraíso é muito boa, no entanto para fazer os passeios, você vai precisar pegar muitos quilômetros de estradas de terra, o que pode sacrificar um pouco o seu carro.

Leia também: Bonito – MS, tudo o que você precisa saber para a sua viagem.

Eu estava com um Sandero alugado e consegui rodar de boa por todas as estradas de terra. Em dois dos passeios ainda estávamos dando carona para um casal, o que fez com o carro estivesse com quatro adultos. 

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: Se você é do tipo que preza por um mínimo de conforto, recomendo fortemente que alugue um carro, pois as cidades e atrações são distantes entre si e nem todas as agências ou guias possuem carros para levar os turistas.

Se você é mais despreocupado em relação a conforto e praticidade, gosta de aventura e de fazer novas amizades, você pode pegar caronas entre as cidades ou fazer novos amigos e buscar caronas para os passeios, dividindo a gasolina.

Carro alugado voltou limpinho #SQN

DISTÂNCIAS ENTRE AS CIDADES

  • Brasília/ Alto Paraíso = 235km
  • Alto Paraíso/ Vila de São Jorge = 37km
  • Alto Paraíso/ Cavalcante = 89km
  • Vila de São Jorge/ Cavalcante = 124km
  • Pirenópolis – GO/ Alto Paraíso = 364 km (Você pode combinar uma viagem a Goiás com os dois destinos – Foi o que eu fiz)
  • Goiânia – Go/ Alto Paraíso = 425km
  • Anápolis – GO/ Alto Paraíso = 372 km
  • Uberlândia – MG/ Alto Paraíso = 609 km
  • Belo Horizonte – MG/ Alto Paraíso = 935 km
  • Palmas – TO/ Alto Paraíso = 620km
  • Rio de Janeiro – RJ/ Alto Paraíso = 1.366km
  • São Paulo – SP/ Alto Paraíso = 1.193km

O QUE FAZER NA CHAPADA DOS VEADEIROS

Pense num lugar que se você ficar um mês vai ter coisa pra fazer! 

Embora a maior parte dos passeios seja para cachoeiras, você verá que as trilhas, as atrações no caminho, as comidas que você irá experimentar e as próprias cachoeiras e piscinas que elas formam são únicas em beleza e você vai querer conhecer todas.

Mas vamos às principais atrações da região da Chapada dos Veadeiros:

Cataratas dos Couros

Um dos passeios que eu mais gostei de fazer foi o das Cataratas dos Couros. É um passeio que é recomendável que vá com guia, embora o GPS consiga te levar de boa. Para chegar não é complicado, mas o guia ajuda bastante para fazer toda a trilha que leva a todas as quedas d’água, explicando cada uma delas.

O estacionamento para deixar o carro para as Cataratas dos Couros fica a 50km do centro de Alto Paraíso. São aproximadamente 22km de asfalto e mais 28 km de estrada de terra.

O estacionamento é gratuito, mas é indicado que você pague ao menos R$5 para o rapaz que toma conta dos carros.

  • Guia: Não obrigatório, mas recomendável
  • Valor: R$150,00 para até 4 pessoas
  • Entrada: Gratuita
  • Almoço buffet livre: R$25,00 em um sítio próximo.
  • Nível da trilha: Médio
Cachoeira Almécegas 1000 nas Cataratas dos Couros

Cachoeira do Segredo

A Cachoeira do Segredo fica a 45 km de distância de Alto Paraíso de Goiás e 11 km da Vila de São Jorge. Se você estiver em Alto Paraíso, siga em direção a vila, mas siga adiante.

A água da Cachoeira do Segredo que despenca de uma queda de quase 100 m é bastante gelada, pois somente no verão há incidência solar dentro do cânion.

A trilha para a Cachoeira do Segredo já é uma atração a parte. Com diversas passagens por dentro de rios com direito a paisagens encantadoras a cada metro de caminhada.

No percurso, há diversas paradas para banho em piscinas naturais, sendo a melhor delas uma deliciosa prainha com piscina transparente, decks de madeira e muito sol para aquecer o corpo. E como a água da Cachoeira do Segredo costuma ser bem gelada, esse é um bom local para um banho sem sofrimento.

A trilha é bem sinalizada, quase toda protegida pela sombra das árvores e com poucos desníveis. Há cordas que auxiliam a passagem pelos rios e setas que indicam o caminho até o cânion onde está a Cachoeira do Segredo.

  • Guia: Opcional
  • Entrada: R$25,00 se estiver com guia e R$35,00 sem guia
  • Nível da trilha: Tranquila, mas longa. São 8km de ida e mais 8 de volta.

Cachoeira Santa Bárbara

A Cachoeira Santa Bárbara fica na cidade de Cavalcante. Se você estiver hospedado em Alto Paraíso, vai percorrer quase 90km até o centro de Cavalcante em estrada asfaltada e depois mais 33 km em estrada de terra até a Comunidade Kalunga.

Você vai parar o carro no estacionamento da comunidade, pagar a taxa de visitação e contratar um guia local, caso não tenha ido com um. Para visitar esta cachoeira é obrigatória a companhia de um guia.

Uma pickup de transporte de passageiros pega os turistas e leva até um local mais próximo da cachoeira, mas ainda é necessário fazer mais uma parte em uma trilha aberta.

  • Guia: Obrigatório
  • Valor: R$70,00 guia até 6 pessoas
  • Entrada: R$20,00 por pessoa
  • Almoço buffet livre: R$30,00 (delicioso)
  • Nível da trilha: Fácil

Cachoeira Loquinhas

É uma das cachoeiras mais próximas do centro da cidade, a apenas 5km e também uma das mais sem graça, mas vale a pena fazer naquele dia que você chegou mais cedo de outro passeio ou até mesmo no dia que você chegar na cidade, ou na manhã de quando estiver indo embora.

  • Guia: Não precisa
  • Entrada: R$25,00 por pessoa
  • Nível da trilha: Ridícula (menos de 1Km em passarelas de madeira)
Cachoeira Loquinhas próxima ao centro de Alto Paraíso

Vale da Lua

O Vale da Lua foi um dos passeios que eu mais criei expectativa e um dos que mais me decepcionei, mas a culpa nem foi da atração em si. 

O problema é que fui em janeiro, período de chuvas e maior risco de trombas d’água e no final de tarde que eu visitei a atração, o tempo estava fechando acima da cabeceira do rio. 

Leia também – Como ficarão as viagens após a pandemia da Covid-19

O Vale da Lua é uma atração privada, conta com uma boa infraestrutura, com seguranças e salva vidas que monitoram as chuvas e avisam por meio de apitos – caso haja risco de trombas d’água – mas mesmo assim eu não consegui relaxar quando estava na água ou nas margens e o dia estava nublado, então as fotos também não ficaram grandes coisas.

Mas o lugar é lindo, as rochas que foram esculpidas pela força da água em milhões de anos formam um piso que faz lembrar o solo lunar (daí o nome) e as fendas formam túneis com duchas, escorregas e piscinas naturais.

  • Guia: Não precisa
  • Entrada: R$20,00 por pessoa
  • Nível da trilha: Fácil em descida
  • Há lanchonete no início da trilha.
Vale da Lua

Fazenda São Bento

Esse foi o primeiro passeio que eu fiz na região da Chapada dos Veadeiros. A Fazenda São Bento fica na estrada que liga Alto Paraíso à Vila de São Jorge e está a 10km da primeira e 28km da segunda.

É na Fazenda São Bento que ficam as cachoeiras Almécegas I, São Bento e Almécegas II. As trilhas para chegar nas cachoeiras têm dificuldade mediana e é possível almoçar no restaurante do local, assim como fazer tirolesa (valores cobrados à parte)

  • Guia: Não precisa
  • Entrada: R$40,00 por pessoa para as três cachoeiras
  • Nível da trilha: Média (tem umas subidas chatinhas)

Mirante da Janela e Cachoeira do Abismo

Outro passeio que eu gostei bastante, principalmente porque fui na época das chuvas e a lâmina d’água da cachoeira do abismo estava presente, no período de seca dificilmente ele se forma.

O visual das duas atrações é lindo e rende excelentes fotos, principalmente se o dia estiver com céu azul.

O estacionamento fica a apenas 3km do centro da Vila de São Jorge. Você estaciona e procura a lanchonete para pagar a entrada que custa somente R$15,00. Se tiver esquecido de levar água, aproveite para comprar pelo menos 1,5l por pessoa (no mínimo), você vai precisar.

Cachoeira do Abismo

A trilha é bem pesada com muitas descidas e subidas íngremes e, embora bem marcada, você pode se perder no caminho. Eu me perdi duas vezes na ida, mas consegui me encontrar seguindo outro grupo que estava com guia.

Se você for no período de chuvas, a lâmina d’água que se forma na Cachoeira do Abismo é um oásis no meio do deserto e, certamente você vai querer se refrescar nela na volta.

  • Guia: Não precisa, mas você pode se perder.
  • Entrada: R$20,00 por pessoa
  • Nível da trilha: Bem pesado
  • Estacionamento gratuito

ONDE SE HOSPEDAR NA CHAPADA DOS VEADEIROS

Se você gosta de mais tranquilidade e infra estrutura a minha recomendação é que você escolha como base para a sua viagem a cidade de Alto Paraíso de Goiás.

Se você preferir mais agito, vida noturna, dançar um forró agarradinho e um lugar mais roots, sua escolha deve ser a Vila de São Jorge, que é um distrito de Alto Paraíso, porém a 37 km de distância do centro da cidade.

Agora, se você quer mais tranquilidade e ficar perto de atrações como a Cachoeira Santa Bárbara, Cachoeiras do Complexo do Prata, Cachoeira “praia” São Félix e Ponde de Pedra, seu destino na Chapada é Cavalcante.

Alto Paraíso fica em uma localização mais centralizada, têm agências bancárias, bons restaurantes, lojinhas diversas, supermercados e luz elétrica sem maiores problemas.

Pôr do sol visto da casa que aluguei pelo AirBnb em Alto Paraíso de Goiás

Na Vila de São Jorge todas as ruas são de terra batida, mas tem algumas pousadas bem charmosas. A vila tem uma pegada muito mais jovem, têm camping, tem forró, tem movimento até mais tarde e tem muitas lojinhas de pedras e produtos esotéricos. O principal problema da Vila é a instabilidade da rede elétrica, presenciei queda da luz por diversas vezes.

Cavalcante é o destino mais recente que passou a receber pousadas e casas para alugar pelo AirBnb. Muito além da cidade que abriga a comunidade Kalunga e a Cachoeira Santa Bárbara, o lugar é de uma paz dá gosto. Se você quiser esquecer do mundo e da civilização, pode apostar em Cavalcante.

Leia também: 25 motivos para se orgulhar de ser brasileiro

ONDE COMER NA CHAPADA DOS VEADEIROS

Taí um lugar que me surpreendeu e onde eu comi bem  em todas as refeições nos cinco dias que passei por lá.

Vendinha 1961

Fica na rua principal, no centro de Alto Paraíso de Goiás. É um ambiente agradável, tem música ao vivo, fica bem cheio e tinha fila na porta na primeira noite que eu jantei lá. Tem cardápio extenso e optei por um buffet de sopas e caldos na primeira noite e um sanduíche na segunda. Gostei tanto do atendimento de lá, que chamei a gerente da casa para fazer um elogio aos funcionários da casa.

Restaurante Vendinha, na rua principal de Alto Paraíso de Goiás

Rancho do Waldomiro

Uma das visitas obrigatórias para quem está na região da Chapada é o Rancho do Waldomiro. Lá, além de poder provar as cachaças e licores, você vai comer uma Matula (tipo uma feijoada do Cerrado), que depois você vai querer uma rede pra descansar.

Ambiente simples, na beira da estrada entre Alto Paraíso e a Vila de São jorge, que vale muito a pena conhecer e saborear.

Comunidade Kalunga

Se você for conhecer a Cachoeira Santa Bárbara na parte da manhã, é bem provável que você retorne na hora do almoço, mas para almoçar no restaurante da comunidade você precisa fazer a reserva e pagar antes de ir para o passeio.

Pense em um buffet variado feito na lenha, com gosto de comida caseira, comida da casa de vó, comida de roça. A sofisticação do lugar está justamente na simplicidade, no cheirinho da lenha e as panelas de alumínio brilhando por fora e com cores e sabores deliciosos por dentro.

Almoço buffet livre na comunidade Kalunga

Baroque

Outro dos muitos restaurantes da rua principal de Alto Paraíso. Comemos um risoto de pequi delicioso e o atendimento também foi muito cordial. Reclamamos que o drink da minha namorada tinha vindo praticamente só gelo, e o garçom providenciou outro como cortesia.

Leia também – Toronto – Tudo o que você precisa saber para a sua viagem

Risoteria Santo Cerrado

A Santo Cerrado fica na Vila de São Jorge e já vale a visita só pela beleza do lugar. Uma dica é você jantar mais cedo ou almoçar no final da tarde por lá e apreciar a belíssima vista do Pôr do sol. Ou simplesmente ir no final de tarde para comer uns petiscos, tomar uma cerveja e curtir o cair da tarde.

Bom, como o nome já diz, é uma casa especializada em risotos. O que comemos foi o de camarão, que estava uma delícia. Jantamos à luz de velas, porque faltou luz na vila, mas foi super de boa.

Cataratas dos Couros

Quando nós fomos a Cataratas dos Couros, almoçamos na volta em uma casa de um sítio muito simples, onde sem dúvida foi a melhor comida da viagem. A comida mais simples e mais barata foi a melhor de todas.

DINHEIRO X CARTÃO

Em Alto Paraíso de Goiás tem agências bancárias do Itaú e Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e caixas eletrônicos da Rede 24 horas.

A Vila de São Jorge não conta com bancos e nem caixas eletrônicos.

Quase todos os estabelecimentos, lojinhas e restaurantes aceitam cartões de crédito e débito, mas algumas atrações são em áreas particulares que cobram a entrada e não aceitam cartões. 

Além disso você também vai precisar de guia, que é obrigatório para alguns passeios. alguns aceitam cartões e outros não.

Minha recomendação para a conhecer a Chapada com tranquilidade é que você mantenha sempre uns R$200 em espécie para qualquer contratempo, justamente por ter muitas atrações que não aceitam cartões e por não encontrar bancos e caixas eletrônicos com facilidade.

Leia tambémO que são salas vip e como ter acesso a elas

COMO SE LOCOMOVER NA CHAPADA DOS VEADEIROS

Como eu disse lá em cima em “Como chegar”, recomendo que você vá conhecer a região em carro alugado ou carro próprio, pois te dá muito mais conforto, praticidade e rapidez nos deslocamentos.

As outras formas de se locomover entre as cidades e atrações é fazendo amizade e dividindo as despesas de um determinado passeio (combine antes) ou pegando carona na beira da estrada (vi muito por lá)

VIDA NOTURNA NA CHAPADA DOS VEADEIROS

Se você estiver hospedado em Alto Paraíso, vai perceber que a rua principal, embora tenha muitos restaurantes, não tem muita agitação não. No máximo, uma música ao vivo em alguns estabelecimentos. A maioria fecha cedo, no máximo a meia noite.

Agora se você estiver na Vila, verá que é bem mais agitada. Você poderá se informar na pousada sobre eventos pontuais, pequenos shows, lual, ou barzinhos com música ao vivo. Mas o que é famoso mesmo na Vila é o forró na Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge.

QUANDO IR/ MELHOR ÉPOCA PARA CONHECER A CHAPADA DOS VEADEIROS

A região da Chapada dos Veadeiros tem duas estações de chuva bem definidas e são elas e a sua disponibilidade e preferências que vão definir qual a melhor época para ir para a Chapada.

Estação seca (maio a setembro) vantagens e desvantagens: 

As principais vantagens de conhecer a Chapada nesse período é que com menos chuva, as estradas estão mais secas, a água dos rios e cachoeiras estão mais cristalinas, tem um risco menor ou quase zero de enfrentar trombas d’água, a paisagem ganha novos tons e o pôr do sol fica mais bonito. E também com menos chuva, a probabilidade de ter um pôr do sol frustrado por nuvens é menor.

As desvantagens da estação seca é que a água das cachoeiras fica mais gelada, principalmente nos meses de inverno. Embora os dias sejam bonitos e ensolarados, algumas noites podem ser bem frias. Por ser a melhor época para conhecer a Chapada, as atrações ficam mais cheias, sobretudo no mês de julho, por conta das férias.

Leia também: Qual é o melhor programa de fidelidade de companhia aérea.

Estação chuvosa (outubro a abril) vantagens e desvantagens:

Os meses de dezembro e janeiro são os mais chuvosos, e especialmente nesses meses, os cuidados com as trombas d’água precisam ser redobrados.

O volume das cachoeiras está maior, o que proporciona maiores piscinas naturais e mais espaço para banhos. A lâmina d’água que se forma na Cachoeira do Abismo só é encontrada no período chuvoso, ela não existe na época seca. Outra vantagem do período de chuvas é que a água das cachoeiras fica menos gelada e as noites têm temperaturas bem agradáveis

As desvantagens é que as estradas e trilhas podem estar com lama, você pode perder dias de passeio por causa das chuvas ou porque a atração está interditada devido ao alto volume de água. Em algumas trilhas, principalmente as muito abertas (sem sombra) o calor é brabo. Muita água, filtro solar e chapéu são altamente recomendáveis.

OBS: Eu visitei a região em janeiro e os cinco dias que eu passei na cidade peguei chuva, mas nada que atrapalhasse qualquer passeio. Vi pôr do sol bonito da janela da casa onde estava hospedado, tomei banho na Cachoeira Santa Bárbara com água cristalina e todos as idas às cachoeiras foram monitoradas quanto a trombas d’água sem nenhum problema. 

Confesso que ter ido ao Vale da Lua no final da tarde com o tempo fechando foi um pouco tenso, mas a atração conta com seguranças e salva vidas em diversos pontos monitorando a formação de chuvas e eles trabalham com apitos para sinalizar em caso de algum risco e necessidade de sair da água.

COMPRAS – O QUE COMPRAR NA CHAPADA DOS VEADEIROS

Alto Paraíso tem alguns supermercados que atendem as necessidades mais básicas, portanto água, lanches, frutas, algumas bebidas e outros itens você não terá muitos problemas em encontrar.

O que mais você vai encontrar por lá são lojinhas de roupas, lembrancinhas, pedras, cristais e produtos esotéricos.

Caso você precise de remédios, também não terá dificuldades para encontrar farmácias, mas é importante sempre lembrar de levar seus remédios de uso regular.

COMO SE VESTIR/ O QUE LEVAR PARA A CHAPADA DOS VEADEIROS

Para o dia:

Tênis esportivos de tela com solado antiderrapante para poder fazer as trilhas com segurança, regatas e camisetas, shorts e bermudas. Recomendo que leve uma mochila, pois algumas trilhas são médias e longas e você deve levar frutas, biscoitos, mas principalmente água. A mochila serve também para você levar protetor solar e repelente, por precaução.

  • Tênis esportivo de tela
  • Regatas e t-shirts (se preferir, camiseta de manga longa com proteção solar)
  • Shorts e bermudas
  • Chapéu ou boné
  • Toalha
  • Mochila
  • Roupas de banho
  • Água
  • Snacks (biscoitos, nuts etc..)
  • Frutas
  • Protetor solar
  • Repelente

Para a noite:

O centro da cidade de Alto Paraíso é um pouco mais arrumado e tem restaurantes mais charmosos que a Vila de São Jorge, portanto o que você vai vestir a noite vai depender um pouco de onde você estiver hospedado e também a época do ano que você for. Em junho e julho, as temperaturas durante a noite podem chegar aos 14ºC.

  • Camisetas
  • Camisas
  • Vestidos longos
  • Vestidos de alcinha
  • Saias
  • Tênis
  • Rasteirinhas
  • Bermudas e shorts
  • Jaqueta leve ou suéter
  • Eventualmente calça jeans ou sarja
  • Moletom

IMPORTANTE: O clima no centro-oeste do Brasil nos meses do meio do ano é bastante seco, portanto protetor labial com hidratante, hidratante para o rosto e corpo, soro fisiológico ou colírio, caso seus olhos sejam muito sensíveis a climas secos são itens que você pode precisar.

Leia também: O Caribe não existe.

REMÉDIOS/ HOSPITAIS/ SEGURO

Como dito acima, no seu checklist de viagem é sempre bom lembrar de levar seus remédios de uso regular e não custa incluir na necessaire um analgésico, um band-aid, uma loção de calamina (para picadas de insetos, queimadura solar, urticária, alergia a plantas), um talco para os pés e pomada de assadura.

Na cidade existe um Posto de Saúde, um Hospital Municipal bem simples e uma Unidade Mista de Saúde que não sei bem ao certo o que é. Caso você não tenha plano de saúde, não precisa ter maiores preocupações com seguro viagem.

INTERNET/ TELEFONE/ COMUNICAÇÃO

Na casa que eu fiquei pelo AirBnb a internet Wi-Fi funcionava de forma satisfatória e a maioria dos hotéis, pousadas e restaurantes disponibilizam de forma gratuita o sinal de wi-fi.

As cinco grandes operadoras (Oi, Claro, Vivo, Tim e Nextel) funcionam na região com sinal de telefonia e 3G/4G, embora a qualidade do sinal de internet seja bem duvidosa (ruim mesmo). 

Meu telefone na época era da Nextel e funcionou perfeitamente durante toda a viagem, inclusive em trilhas bem distantes da cidade, mas só o sinal de telefonia. O sinal de internet oscilava e mesmo às vezes com o indicador de sinal completo, a rede não funcionava.

SEGURANÇA

Achei muito tranquilo caminhar pelas ruas do centro de Alto Paraíso e da Vila de São Jorge, inclusive a noite.

Não vi patrulhamento ostensivo, mas no geral me senti seguro.

DICAS E CURIOSIDADES SOBRE A CHAPADA DOS VEADEIROS

  • Paralelo 14 – É uma linha imaginária ao Sul da Linha do Equador que corta a cidade de Alto Paraíso e também a cidade de Machu Picchu, que também é cercada de misticismo e com diversas teorias místicas de como foi construída. Dizem, os mais “espiritualizados” que existe um túnel subterrâneo ligando as duas cidades.
  • Maior placa de cristal de quartzo – A região da Chapada é famosa pela riqueza mineral e estima-se que em seu subsolo exista a maior placa de quartzo do mundo, pesando alguns milhares de toneladas.
  • Terapias alternativas – o que você já tiver ouvido falar, ou não, de práticas holísticas e terapias alternativas, você encontrará na região da Chapada. Auriculoterapia, massagens relaxantes, pedras quentes, reorganização dos chakras com cristais, terapia abissal, mapa astral, horóscopo Maia, Feng Shui, radiestesia, reiki, vidas passadas, massagem ayurvédica, cromoterapia entre tantas outras atividades de relaxamento e estimulação energética.
  • Diversidade religiosa – Em Alto Paraíso e na Vila de São Jorge, você verá igrejas católicas, evangélicas, inclusive uma Presbiteriana com o nome de São Jorge. É curioso uma comunidade evangélica com um nome de santo. Mas também encontrará daimistas, oshoistas, budistas, espíritas e tantos outros grupos que professam a fé em religiões, seitas e crenças das mais diversas, inclusive em extraterrestres.
  • ETs – O lugar é considerado por místicos e outras criaturas exóticas locais como ponto de atração de extraterrestres e discos voadores. Inclusive o portal de entrada da cidade tem formato de uma aeronave espacial. Muito da cultura local, das lojas, da decoração, dos nomes de estabelecimentos, giram em torno dessa cultura extraterrestre. 
  • A cidade reúne alguns eventos e outros curiosos como em setembro o Campeonato Brasileiro de Polo Aquático em águas correntes (nunca ouvi falar) e também as tradicionais Festa do Divino, cinquenta dias após a Páscoa e a festa de São Jorge no dia 22 de abril (véspera do dia do santo). Em julho, o município também sedia o Moonstock, um festival de inverno.
  • A temperatura a noite é bem amena, mesmo nos meses de verão, pois a cidade está a 1300m acima do nível do mar.

TELEFONES ÚTEIS

  • CAT (Centro de Atendimento ao Turista) – (62)3446-1159
  • Hospital Municipal – (62)3446-1103
  • Polícia Militar – 190
  • SAMU – 192
  • Bombeiros – 193
  • Polícia Rodoviária Federal – 191

Bom, espero que você tenha gostado do post e eu tenha te ajudado em sua viagem. 

Segue a gente lá no Instagram Perviamo.

Ficou com alguma dúvida, deixe o seu comentário abaixo.

Abraço.

Jason Brum

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.