Curitiba é legal – O que fazer, quando ir, onde ficar.

0 426
Seguros Promo

- Advertisement -

Esqueça o senso comum sobre Curitiba não ser destino turístico, ou que o curitibano é caladão, ou que a cidade é destino para no máximo um final de semana.

Abra o seu coração, deixe os preconceitos de lado e venha nessa viagem comigo por Curitiba e descubra que a cidade tem muito mais coisas para se fazer do que caberiam em somente dois dias. 

Sobre

Curitiba é a capital do estado do Paraná e está a 934 metros acima do nível do mar. E falando em mar, fica distante quase 110 km do oceano. 

Tem quase dois milhões de habitantes e é a oitava cidade mais populosa do Brasil.

Foi fundada em 1693 e alçada à capital da recém-emancipada província do Paraná em 1853. Tem forte influência de imigrantes europeus, sobretudo ucranianos, poloneses, alemães e italianos.

Curitiba já recebeu diversos títulos e prêmios de entidades e empresas internacionais, nas áreas de sustentabilidade e meio ambiente, mobilidade urbana, empreendedorismo, qualidade de vida, criatividade e educação (Curitiba é a capital brasileira com a menor taxa de analfabetismo)

Também sofre com a violência urbana, assim como todas as capitais e regiões metropolitanas do Brasil, e em 2016 figurou em 44º lugar dentre as cidades com maiores taxas de homicídio no mundo.

A economia da cidade está baseada principalmente no comércio e em seguida na indústria, com um grande parque industrial que atrai empresas do porte da Elma Chips, Siemens, Eletrofrio, Sadia, Positivo, O Boticário, Bosch, Tintas Renner, dentre outras.

Assim como São Paulo, o turismo de negócios é mais forte que o turismo de lazer, portanto é comum encontrar em alguns hotéis, tarifas mais baixas aos finais de semana.

Como chegar em Curitiba

De carro

Curitiba é cercada ou cortada por diversas rodovias de excelente qualidade que te levam até lá, vindo do interior do próprio Estado do Paraná, interior de SP, ou São Paulo capital, ou diversas cidades da região sul.

Principais distâncias a partir de Curitiba

  • Foz do Iguaçu – PR = 637 km
  • Florianópolis – SC  = 306 km
  • São Paulo – SP = 407 km
  • Rio de Janeiro – RJ = 842 km
  • Porto Alegre – RS = 742 km
  • Maringá – PR = 440 km
  • Londrina – PR = 391 km
  • Brasília – DF = 1.392 km
  • Campo Grande – MS = 1.000 km
  • Campinas – SP = 474 km
  • Ribeirão Preto – SP = 693 km
  • Belo Horizonte – MG = 994 km

De avião

O aeroporto Afonso Pena, fica, na verdade, na cidade vizinha de São José dos Pinhais distante 18 km do centro da cidade de Curitiba, é o 12º aeroporto mais movimentado do Brasil e o segundo da Região Sul do país, perdendo em movimento somente para o Salgado Filho em Porto Alegre.

Recebe voos das três grandes companhias aéreas nacionais, Azul, Gol e Latam em voos diretos vindos de Maringá, Florianópolis, Porto Alegre, Rio de Janeiro, São Paulo, Foz do Iguaçu, Campinas, Belo Horizonte, dentre outras.

Aeroporto Afonso Pena (CWB)

Como o aeroporto é bem servido em quantidade de voos e operado pelas grandes companhias, além das regionais, as passagens para Curitiba costumam ter preços bem atrativos.

Valores das passagens aéreas partindo do Rio, de São Paulo ou de Brasília começam por volta de R$240,00. Ida e volta com taxas.

Encontre a sua passagem para Curitiba, clicando aqui.

Seguros Promo

De ônibus

A rodoferroviária de Curitiba fica no bairro do Jardim Botânico e unifica os transportes ferroviário e rodoviário, recebendo ônibus intermunicipais e interestaduais vindos de quase todos os lugares do Brasil.

Valores das passagens de diversas cidades para Curitiba:

Florianópolis = A partir de R$68,00 o trecho – Empresas: Catarinense e Eucatur

Porto Alegre = A partir de R$190,00 o trecho – Empresas: Penha e Catarinense

Rio de Janeiro = A partir de R$150,00 o trecho – Empresas: Penha e Kaissara

São Paulo = A partir de R$94,00 o trecho – Empresas: Cometa, Kaissara e Eucatur

Foz do Iguaçu = A partir de R$200,00 o trecho – Empresa: Catarinense

Brasília = A partir de R$175,00 o trecho – Empresas: Real Expresso e Princesa

Como chegar do aeroporto de Curitiba ao Centro

De UBER 

Uber opera normalmente no aeroporto de Curitiba e uma tarifa entre o terminal de desembarque e o bairro do Batel, fica por volta dos R$25 e até o centro de Curitiba aproximadamente R$22.

De micro-ônibus 

Micro-ônibus executivo do aeroporto Afonso Pena para o Centro de Curitiba

O micro-ônibus que sai do Aeroporto Afonso Pena tem a tarifa promocional no valor de R$10 para pagamento em cartões de débito e crédito, passa pela rodoferroviária de Curitiba e em seguida percorre as principais zonas hoteleiras da cidade.

Se o ônibus não te deixar em frente ao seu hotel, certamente vai te deixar a alguns metros de caminhada. 

Consulte o percurso do ônibus no site da empresa. 

Ah, caso o seu hotel fique na área do aeroporto, o valor do ticket é de apenas R$3,00.

De Táxi 

Caso você não utilize aplicativos de carona como Uber e 99 e também não queira ir de micro-ônibus, os táxis que operam no aeroporto são da cidade de São José dos Pinhais e te levarão para a cidade de Curitiba, portanto poderão cobrar uma taxa de retorno (antigo isso né).

Embora isso pareça ultrapassado, é bastante justificável, uma vez que eles não podem pegar passageiros em outra cidade, o que não ocorre com motoristas do UBER.

Como chegar da rodoferroviária de Curitiba ao Centro ou ao Batel.

Você pode pegar o mesmo micro-ônibus que parte do aeroporto e passa pela rodoferroviária ou ir de UBER ou táxi, a tarifa para o Batel ou o Centro não deve dar mais que doze reais.

É preciso alugar carro em Curitiba?

Você vai precisar fazer vários pequenos deslocamentos entre as atrações, portanto um carro alugado dá mais praticidade.

Por outro lado você vai precisar se preocupar com estacionamento nas áreas mais concorridas, como no Centro, no Batel, na Feira do Largo da Ordem ou no Mercado Municipal.

Tirando isso, quase todas as atrações da cidade são fáceis de encontrar vaga, principalmente fora dos finais de semana.

Carro alugado ou UBER vão te atender muito bem em Curitiba, fica a seu critério a escolha, levando em consideração praticidade, conforto e custo das duas opções

O que fazer em Curitiba

Jardim Botânico

O Jardim Botânico de Curitiba é a atração mais visitada da cidade, tanto por turistas, como por locais. É que o parque é lindo, bem cuidado, grande  e tem um horário de visitação bem extenso, das 6 às 20h no inverno e das 6 às 21h no verão.

Por ser um parque imenso (são 245 mil metros quadrados) e com diversas atrações, você deve dedicar pelo menos umas duas horas a ele.

Dentre as atrações, claro que a mais famosa é a estufa em estilo art noveau, inspirada no Palácio de Cristal de Londres, assim como o jardim geométrico em estilo francês bem em frente a estufa.

Além dessas duas atrações, o Jardim Botânico de Curitiba conta ainda com pista para prática de exercícios físicos, lago, cascata, velódromo, jardim das sensações, Museu Botânico Municipal, salas para exposições temporárias, café e, vejam só, até um velódromo.

Localização:Rua Engenheiro Ostoja Roguski, Jardim Botânico.
Entrada: Gratuita
Funcionamento: Todos os dias das 6 às 20h (consulte antes de visitar)

Memorial Ucraniano – Parque Tingui

O Memorial Ucraniano além de lindo e bem conservado, celebra a chegada dos ucranianos ao Brasil  em 1891 e conta como esse povo contribuiu para o desenvolvimento do Estado do Paraná em diversas áreas, como literatura, engenharia, artes, história, música, indústria, mas sobretudo na agricultura.

O prédio principal é uma réplica da Igreja Ucraniana da Serra do Tigre, da cidade de Mallet no Paraná, uma das mais antigas do país, mas não funciona como igreja, e sim como um museu, contando um pouco da rica história do povo ucraniano. A geopolítica da Europa, as guerras, os movimentos migratórios, os avanços tecnológicos do país, a religião e as artes.

Entretanto, nem só de boas histórias e recordações é feito o museu. Na parede dos fundos, em um espaço reservado, é contada em detalhes, a história do Holodomor, um genocídio pela fome e frio imposto pelo regime comunista e ditatorial de Josef Stalin. 

O Holodomor é considerado o Holocausto Ucraniano, onde de 7 a 10 milhões de ucranianos, sobretudo camponeses que produziam suficientemente para sua subsistência tinham toda a sua produção confiscada pelo governo da antiga Uniaão Soviética, que abastecia seus depósitos com milhões de toneladas de grãos para exportação, enquanto o povo ucraniano passava fome, frio e era impedido pelas forças de Stálin de sair para as vizinhas regiões soviéticas, onde o alimento era mais facilmente encontrado.

Localização: Rua Dr. Mbá de Ferrante, S/N – Parque Tingui
Entrada: Gratuita
Funcionamento: Todos os dias, das 10 às 18h.

Bosque Alemão 

O Bosque Alemão fica no bairro de Vista Alegre e o Uber, o Waze ou o Google Maps podem te levar para a parte de baixo, mas não comece o passeio por ali. 

O passeio pelo Bosque Alemão deve começar pela parte superior, primeiro porque pra baixo todo santo ajuda…risos, e, segundo que a trilha que você irá percorrer vai contando a história de João e Maria, portanto se você começar pela parte de baixo, vai pegar a história de trás pra frente.

A parte alta do Bosque Alemão é composta de uma bonita cascata de água, uma passarela de madeira e a escadaria que te levará para a parte baixa, onde se inicia a trilha.

A trilha é por mata nativa fechada, mas toda calçada, sinalizada e com diversas placas contando a história de João e Maria, o “conto de fadas” dos Irmão Grimm.

O legal é você ir lendo as placas e usando a imaginação, aumentando a história, dando veracidade a elas, fazendo com que os pequenos pensem que a história, de fato aconteceu ali.

Mas se você não tiver muita imaginação para isso, não tem problema, no meio da trilha tem a casa da bruxa, que, na verdade, é uma pequena biblioteca onde acontecem contações de histórias, nos finais de semana e feriados às 11, 14 e 16h e de terça a sexta às 9:30 e às 14:30h.

Portal Alemão, fica no final da trilha, na parte baixa do parque.

Localização: Rua Nicolo Paganini S/N – Pilarzinho
Entrada: Gratuita
Funcionamento: Todos os dias das 8 às 18h. Casa da Bruxa: das 9 às 17h.

Parque Barreirinha

Se o Parque Barreirinha é uma joia esquecida pelos próprios curitibanos, imagina para os turistas. O que é uma pena.

O parque tem 275 mil metros quadrados e preserva espécies nativas da região como canelas, araucárias, bracatingas e aroeiras.

O parque tem lagos, espaços de lazer para as crianças, banheiros, quiosques com churrasqueiras, aparelhos de alongamento, quadra de areia e pistas para exercícios. A temperatura dentro do parque é sempre mais amena que do lado de fora, o que em dias quentes é um convite para relaxar nos gramados, fazer um churrasco ou um piquenique.

Parque Barreirinha

Como o parque é bem vazio e raramente é visto guardas municipais fazendo a ronda no local, é aconselhável não visitar sozinho.

Localização: Av. Anita Garibaldi, 6100 – Barreirinha
Entrada: Gratuita
Funcionamento: Todos os dias das 8 às 18h

Parque Passaúna

O Parque Passaúna fica localizado próximo à Cidade Industrial de Curitiba. Por ser um pouco mais afastado dos demais atrativos da cidade, é pouco conhecido por turistas, mas garanto que vale a visita, pois o parque além de imenso, é lindo.

A área do parque tem mais de 6 milhões de metros quadrados, e conta com um imenso lago da represa do Rio Passaúna, tem pista de exercícios com 3,5Km de extensão que passa pela beira do lago e por bosques que preservam imbuias, araucárias, cedros, tarumãs, corticeiras, dentre outras espécies.

O parque conta ainda com churrasqueiras, portal, pontes, estacionamento, passeios de stand-up paddle, e um mirante de 12m de altura, mas por ficar em cima de um morro, acaba ficando a 60 metros acima da lâmina d’água, o que proporciona uma bela visão do lago, das chaminés das olarias que outrora funcionavam ali, assim como a cidade vizinha Campo Largo.

Se estiver pela área do parque e bater aquela fome, uma boa pedida é o restaurante Farol do Parque, só jogar no GPS.

Ah, o Parque Passaúna é considerado a “praia” dos curitibanos, portanto em finais de semana de calor, principalmente pela manhã, deve ficar bem cheio. 

Localização: Final da Rua Eduardo Sprada – Bairro Augusta
Entrada: Gratuita
Funcionamento: Sempre aberto

Parque Tanguá

Se tem uma coisa que Curitiba sabe fazer é transformar pedreiras desativadas em parques, o Tanguá é um deles.

Criado em 1996, o Parque Tanguá é o local preferido pelos curitibanos para apreciar o Pôr-do-sol, do alto de seu mirante de 65m de altura.

O parque é dividido em parte alta e baixa. Caso não esteja calor e você não tenha dificuldade de locomoção, dá para conhecer as duas partes a pé, caso contrário te aconselho que suba ou desça entre as duas partes, de carro.

Na parte de cima, você vai encontrar canteiros floridos, chafariz e o mirante acima da cascata.

Parte de cima do Parque Tanguá

Já na parte inferior do parque, você vai encontrar quiosques, pistas de exercícios, restaurante, sanitários, lago e a vista inteira da cascata.

Você precisa conhecer as duas partes do parque. Se o tempo estiver bom, vá no final da tarde para aproveitar o pôr-do-sol e garanta lindas fotos.

Localização: Rua Oswaldo Maciel, 97 – Taboão
Entrada: Gratuita
Funcionamento: Diariamente das 6 às 22h.

Parque Barigui

Taí outro parque grande, famoso e muito frequentado por curitibanos, principalmente para a prática de exercícios físicos, realização de churrascos e piqueniques.

O Parque Barigui é um dos mais completos da cidade, possui restaurante, centro de convenções, museu do automóvel, ciclovia, pista de corrida, lago, mini represa hidrelétrica, sanitários, bosques, pista de patinação, pista de aeromodelismo, academia de ginástica, parquinhos infantis, estacionamentos, 6 quadras (futebol de areia, vôlei de areia, poliesportivas), área para slackline, heliponto… Ufa.. tem é coisa no Parque Barigui, tem até capivaras, muitas por sinal…risos

Parque Barigui

Apesar de já ter ido a Curitiba umas 40 vezes (minha mãe mora lá) e ter passado inúmeras vezes em frente ao Parque Barigui, eu nunca o visitei. Está na lista para a próxima viagem.

Localização: Av. Cândido Hartmann, S/N – Bigorrilho
Entrada: Gratuita
Funcionamento: Sempre aberto

Museu Oscar Niemeyer – Museu do Olho

O Museu Oscar Niemeyer, MON ou Museu do Olho é uma construção projetada pelo famoso arquiteto brasileiro que dá nome ao Museu.

O espaço de 7 mil metros quadrados abriga exposições permanentes e temporárias de grandes nomes das artes plásticas nacionais e internacionais.

Destaque para o espaço no subsolo, onde ficam expostas maquetes das principais obras de Oscar Niemeyer em diversos lugares do mundo.

Dica Extra: No domingo a tarde, nos fundos do museu, em um extenso gramado fica o ParCão, área onde se reúnem diversas famílias que fazem piqueniques e levam os seus cães para se divertirem livremente.

Também nesse horário, se aglomeram por ali diversas tribos de Curitiba para pegarem sol nos gramados, ensaiarem danças, beber uma cervejinha, ou simplesmente apreciar o pôr-do-sol.

Em frente ao museu, existem bares e restaurantes com varandas para quem desejar se despedir do sol com uma visão privilegiada, se deliciando com petiscos e chopp gelado.

Localização: Rua Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico
Entrada: R$20 (inteira) e R$10 (meia)
Funcionamento:Terça a domingo das 10 às 18h.

Ópera de Arame

A Ópera de Arame é um teatro feito em incríveis 75 dias e seu nome se dá por causa da forma como ele foi construído, utilizando sobretudo tubos de aço e coberto com placas transparentes de policarbonato.

Fica aos pés de uma pedreira desativada com um lago em volta que forma uma bela paisagem e rende boas fotos. 

O teatro tem capacidade atualmente para aproximadamente 1500 pessoas, porém limita-se a entrada em somente mil pessoas, para preservar a estrutura da construção.

Além do teatro, o lugar conta com um restaurante junto ao lago e que está abrigando o Festival Vale da Música, com um palco sobre a água com diversas atrações musicais. Você pode conferir a programação da semana nesse link aqui.

A Ópera de Arame faz parte do complexo Parque das Pedreira, onde fica localizada a famosa Pedreira Paulo Leminski, que não é aberta para visitação, mas é bastante conhecida por ser a “casa” das grandes apresentações musicais de Curitiba.

Grandes nomes da música nacional e internacional que já se apresentaram na Pedreira Paulo Leminski: Milton Nascimento, Green Day, Bon Jovi, Guns and Roses, Roberto Carlos, Iron Maiden, Pearl Jam, Katy Perry, Jose Carreras, Paul McCartney, Ivete Sangalo, Ed Sheeran, Tribalistas, Sandy e Junior, Scorpions e, claro, Raça Negra…risos

Localização: Rua João Gava, 920 – Abranches
Entrada: R$10 (inteira) e R$5 (meia)
Funcionamento: De terça a domingo das 10 às 18h

Rua XV de Novembro 

A Rua XV de Novembro de Curitiba foi a primeira via pública exclusivamente para pedestres do Brasil, o calçadão que também é conhecido como Rua das Flores foi inaugurado em 1972 na gestão do então prefeito Jaime Lerner.

Rua XV de Novembro de Curitiba

Seu trecho turístico abriga prédios centenários, restaurantes, lanchonetes, bares, lojas e canteiros de flores por toda a sua extensão.

Uma confeitaria quase centenária localizada na Rua XV que virou atração turística é a Confeitaria das Famílias, com seus famosos doces, como a rosquinha espanhola, bombas e o bolo Marta Rocha, em homenagem à Miss Brasil que ficou em segundo lugar no Miss Universo.

Mas a principal atração da Rua XV de Novembro de Curitiba é o Palácio Avenida, construção histórica que já abrigou o prédio do HSBC e fez fama, principalmente pela iluminação especial de Natal, queima de fogos e cantata de crianças no período natalino.

Palácio Avenida em uma das decorações de Natal

Feira do Largo da Ordem

É uma das atrações que mais gosto na cidade. A Feira do Largo da Ordem funciona todos os domingos das 9 às 14:30h no Centro Histórico de Curitiba.

Lá, além de provar diversos quitutes como pastéis, pierogi, empanadas, acarajé, doces diversos, caldo de cana, você pode comprar artigos de decoração, roupas, quadros, antiguidades, produtos para o seu pet, produtos esotéricos entre tantas outras coisas.

Além de bater perna e fazer compra nas barraquinhas da feira, você pode também apreciar a bela arquitetura de algumas construções da região, como a Igreja Nossa Senhora do Rosário (na parte central), o Memorial de Curitiba (na parte de baixo), o Museu Paranaense e a Mesquita Imam Ali ibn Ali Talib (na parte de cima da feira).

Se quiser almoçar ou beber um chopp, na região também tem boas opções, como o Bar do Alemão, o Tubas Bar ou o Oriente Árabe.

Localização: A parte central fica no Centro Histórico de Curitiba
Entrada: Gratuita
Funcionamento: Domingos das 9 às 14:30h

Mercado Municipal de Curitiba

O Mercado Municipal de Curitiba é bonito, multicolorido, vende produtos de excelente qualidade, mas assim como o de São Paulo, os preços são bem salgados, com a diferença que não há a oferta de lugares para comer e apreciar um choppinho.

Vale a visita para conhecer, comprar alguma fruta exótica, produtos japoneses, vinhos, pimentas, castanhas e beber um café no estiloso Café Municipal, que fica do outro lado da rua, em frente à lateral do mercado.

Localização:Av. Sete de Setembro, 1865 – Centro
Entrada: Gratuita
Funcionamento: Ter a sáb das 8 às 18h. Domingos de 8 às 13h.

Bosque do Papa

O Bosque do Papa ou Bosque João Paulo II fica localizado no bairro Centro Cívico e foi inaugurado em 1980 em homenagem à visita do então papa João Paulo II, que era polonês.

O espaço abriga também o Memorial da Imigração Polonesa, povo que faz parte da formação étnica de Curitiba e do Paraná.

O Bosque do Papa teve projeto paisagístico assinado e acompanhado de perto por Roberto Burle Marx, que fez questão de preservar o máximo de árvores nativas, além de sugerir o plantio de novas árvores.

Na loja de lembranças você pode provar a Kremówka (não se preocupe com a pronúncia, pode chamar de cremusca ou doce do papa) ou ainda a torta de maçã, passas e canela. Lá, ainda você pode comprar as famosas bonequinhas chamadas de Pêssankas polonesas.

Dica extra: Se você estiver de UBER ou estacionado o carro na ruazinha em frente a entrada principal do Bosque do Papa, pegue uma trilha no meio da mata que chega aos fundos do bosque e dá acesso ao Museu Oscar Niemeyer.

Localização: Rua Wellington de Oliveira Viana, 33 – Centro Cívico
Entrada: Gratuita
Funcionamento: Todos os dias das 8 às 18h

Santa Felicidade

O bairro de Santa Felicidade já virou atração turística em Curitiba, graças ao charme das suas construções, lojas de vinhos, queijos, chocolates e, claro, restaurantes. 

O bairro é famoso pela gastronomia italiana, mas você encontra por lá diversos restaurantes elegantes e até mesmo botecos mais simples e descolados.

O restaurante que por si só já virou ponto turístico é o gigantesco Madalosso, que já entrou para o Guinness Book, sendo considerado o maior restaurante da América Latina e um dos maiores do mundo. Lá o sistema é de self-service, onde se paga um preço fixo e pode comer à vontade… E tem é variedade de comida. 

Caso o esquema, comer até explodir não seja o seu favorito, você pode optar por almoçar ou jantar no Velho Madalosso, que tem ambiente mais requintado e trabalha com sistema a la carte.

Estando por lá, visite também a loja de vinhos Durigan.

Universidade do Meio Ambiente

Taí um dos meus cantinhos preferidos de Curitiba, mais uma pedreira desativada que ganhou lago, passarelas e um prédio que se tornou uma universidade.

A UNILIVRE ou Universidade do Meio Ambiente ou Bosque Zaninelli possui estacionamento amplo, uma lanchonete logo na entrada e uma passarela de madeira sobre um terreno alagado em meio a mata, onde você já poderá observar algumas plantas nativas como samambaias e xaxins.

No final da passarela, você encontrará o lago com a majestosa pedreira ao fundo, e, ao seu lado esquerdo, um palco e assentos feitos de pedra e o prédio feito de madeira com passarelas que te levam para ter uma vista privilegiada de todo o lago e pedreira.

Se for no final da tarde, leve repelente, ou sairá de lá, carregado pelos mosquitos…risos

Esse sou eu coçando o tornozelo atacado por mosquitos – Leve repelente…risos

Localização: Rua Victor Benato, 210 – Pilarzinho
Entrada: Gratuita
Funcionamento: Diariamente das 8 às 18h.

Torre da Oi

A Torre da Oi é fácil estacionar, bem organizada para a visitação, você tem uma vista bacana da cidade, mas só vale a pena visitar com dias claros e, mesmo assim, não vi nada demais. Porém, é um ponto turístico da cidade que você deve visitar e tirar as suas próprias conclusões.

Assim como tantos outros pontos turísticos da cidade, é conhecida por diversos nomes: Torre Panorâmica de Curitiba, Torre da Oi, Torre da Telepar ou Torre das Mercês (bairro onde está situada a torre).

Vista da Torre Panorâmica

Localização: Rua Professor Lycio Grein Castro Vellozo, 191 – Mercês
Entrada: R$6 (inteira) e R$3 (meia)
Funcionamento: De terça a domingo das 10 às 19h

Rua 24 Horas

A Rua 24 Horas de Curitiba (que não é mais 24 horas) é uma construção de tubos de aço e vidro, que, durante o dia, dá a sensação de se estar em um espaço aberto. Foi inaugurada em 1991 na então gestão do prefeito Jaime Lerner.

Os arquitetos responsáveis pelo projeto são Célia Bim, Simone Soares e Abrão Assad (o mesmo que desenvolveu o projeto da estufa do Jardim Botânico de Curitiba).

Na Rua 24 Horas de Curitiba você encontra lojas, bancos, bares e restaurantes e dois relógios – um em cada ponta – que mostram as horas em 24 intervalos.

Localização: Rua Visconde de Nácar, S/N – Centro
Entrada: Gratuita
Funcionamento: Até às 23h

Outros pontos turísticos de Curitiba:

Parque São Lourenço

É um dos mais movimentados da cidade, embora pouco conhecido pelos turistas. Tem horário de funcionamento bem extenso e conta com playground, pista de rolimã, pista de corrida, churrasqueiras, Centro de Criatividade, sede administrativa, teatro, Casa Erbo Stenzel, sanitários, quadras de futebol e vôlei, ponte, ciclovia, lago, estacionamento e posto policial.

Parque São Lourenço

Localização: Rua Mateus Leme, bairro São Lourenço
Entrada: Gratuita
Funcionamento: Todos os dias das 6 às 22h

Passeio Público

O Passeio Público já viveu seus dias de glória, mas ainda hoje conta com uma boa infraestrutura, lagos, pedalinhos, mini zoológico, espaço para atividades físicas, parquinho para crianças, restaurante e aluguel de bicicletas.

Localização: Rua Presidente Carlos Cavalcanti, S/N – Centro
Entrada: Gratuita
Funcionamento: Terça a domingo das 6 às 20h

Parque Municipal de São José dos Pinhais

Fica na cidade vizinha, a cidade do aeroporto Afonso Pena e quase na divisa com Curitiba. O parque é imenso, conta com diversos espaços para práticas esportivas, churrascos, piqueniques, campo de futebol e espaços cercados para soltar seus cachorros.

Por lá fica o Horto Municipal, onde são cultivadas flores que são trocadas por lixo reciclável. Bacana, né.

Na entrada do parque tem aquele letreiro gigante, que já virou clichê em diversas cidades e atrações turísticas: Eu Amo São José dos Pinhais.

Localização:Avenida das Torres, 100 – Cidade Jardim, São José dos Pinhais
Entrada: Gratuita
Funcionamento: Todos os dias das 5 às 23h.

Praça do Japão

A Praça do Japão de Curitiba é um espaço público construído em homenagem a imigração japonesa que chegou ao Paraná a partir de 1910.

Atualmente, Curitiba tem a segunda maior colônia de descendentes de japoneses do Brasil, perdendo apenas para São Paulo. Estima-se que 35 mil descendentes vivam atualmente na cidade.

Na área de 14 mil metros quadrados, existem 6 lagos em estilo japonês, assim como 30 cerejeiras, um portal japonês, uma lanterna japonesa esculpida em pedra, assim como o Memorial da Imigração Japonesa.

Localização: Av. Sete de Setembro, S/N – Batel
Entrada: Gratuita
Funcionamento: Sempre aberta

Museu do Trem ou Museu Ferroviário (dentro do Shopping Estação)

A estação ferroviária de Curitiba funcionou nesse local até o ano de 1972, quando, devido a obras de traçado urbano, foi transferida para o local atual, onde funciona também a rodoviária de Curitiba, por isso o local com dupla função é chamado de Rodoferroviária de Curitiba.

A antiga estação, que agora fica dentro do Shopping Estação, abriga o museu ferroviário, mantendo inclusive dentro da área do shopping, visível a todos, uma locomotiva e um vagão dormitório originais.

Localização: Av. Sete de Setembro, 2775 – Rebouças
Entrada: Gratuita
Funcionamento: Terça a domingo das 11 às 19h.

Estádio do Athletico Paranaense (Arena da Baixada)

O estádio do Athletico Paranaense ficou famoso por se tornar o primeiro homologado e autorizado pela CBF para sediar jogos oficiais com o campo de grama sintética. 

Segundo o clube, o estádio tem também o primeiro teto retrátil da América Latina, portanto dependendo do tempo, jogos e eventos no estádio podem ser realizados com o teto aberto ou fechado.

Localização: Rua Buenos Aires, 1260 – Água Verde
Entrada: R$20 (inteira) e R$10 (meia)
Funcionamento: De terça a domingo(exceto em dias de jogos) – Consultar horários no site do clube

Estádio do Coritiba (Couto Pereira)

Outro clássico para os amantes do futebol é o estádio Couto Pereira do Coritiba Foot Ball Club, sim, é assim que se escreve o nome do clube com “o” em vez de “u” do nome da cidade e o restante do nome todo em inglês. Chique, não?

Localização: Rua Ubaldino do Amaral, 63 – Alto da Glória
Entrada: R$20(inteira) e R$10 (meia) – Visita guiada
Funcionamento: De terça a domingo – Verificar horários no site do clube.

Museu Paranaense

O Museu Paranaense eu falei lá em cima no tópico sobre a Feira do Largo da Ordem. O museu é datado de 1876, foi o primeiro do Paraná e o terceiro do Brasil e possui em seu acervo peças indígenas, objetos arqueológicos, obras de arte, mapas e documentos que ajudam a contar um pouco a história do Brasil e do Paraná.

Localização: Rua Kellers, 289 – São Francisco
Entrada: Gratuita
Funcionamento: Ter a sex das 9 às 17:30h. Sáb e dom das 10 às 16h.

Teatro Guaíra

Inaugurado em 1884 sob o nome de Teatro São Theodoro, lotando plateias, camarotes e galeria, foi por dez anos o centro da vida cultural de Curitiba. Em 1894, com a chegada da Revolução Federalista, o teatro transforma-se em cadeia e vive um período de decadência.

Já em 1900, ele é reinaugurado com o nome atual. Em 1939, o teatro original é totalmente demolido e em seu lugar é construído um novo teatro, maior, mais luxuoso e com as características arquitetônicas dos dias atuais.

É um dos maiores e mais importantes teatros da América Latina e possui três auditórios, sendo o maior deles com capacidade para mais de duas mil pessoas.

Localização: Rua XV de Novembro, 971 – Centro
Entrada: Gratuita com horário agendado
Funcionamento: Horário agendado ou aberto para os espetáculos

Teatro Paiol

Foi construído em estilo arquitetônico romano pelo Exército Brasileiro no ano de 1874 para servir de depósito de pólvora e munições (daí o seu nome). 

Na gestão do prefeito Jaime Lerner (não entendo muito da política de Curitiba ou do Paraná, mas parece que Jaime Lerner revolucionou a cidade), foi desenvolvido um projeto para transformar o antigo edifício num teatro.

Para as obras de reforma, as características originais da construção foram mantidas e o seu interior foi transformado no primeiro teatro de arena da cidade, com um auditório para 225 espectadores. O projeto foi assinado pelo arquiteto Abrão Assad.

A inauguração do Teatro Paiol ocorreu em 27 de dezembro de 1971 com a presença dos artistas Toquinho, Marília Medalha e Vinicius de Moraes, que batizou o espaço com uma dose de uísque e compôs em sua homenagem a canção Paiol de Pólvora.

Obs.: Texto copiado da Wikipédia

Localização: Praça Guido Viaro, S/N – Prado Velho
Entrada: Gratuita
Funcionamento: Ter a Sex das 14 às 18:30h – Sáb, dom e feriados das 15 às 18:30h

Bate e volta de Curitiba

Se sua estada em Curitiba for de quatro a sete dias, você pode incluir alguns passeios imperdíveis em cidades próximas, são eles:

Passeio de trem Curitiba/ Morretes

O passeio de trem de Curitiba até Morretes pela Serra do Mar dura aproximadamente quatro horas e é lindo, além de ser uma aula de história, engenharia e meio ambiente.

Em cada vagão vai um(a) guia contando a história da construção da ferrovia, das cidades ao longo da estrada de ferro, assim como os fatos históricos marcantes da cidade de Curitiba e do Estado do Paraná.

No meu vagão foi a guia Michele, que foi uma simpatia, além de ter grande conhecimento da história, foi indicando a todo momento os pontos de interesse cênico e histórico do caminho.

Você sabia que a idealização e o projeto da estrada de ferro são de autoria dos irmãos André e Antônio Rebouças? Engenheiros negros, filhos de escravos. E que, após a morte, aos 35 anos de Antônio Rebouças, vítima de febre tifóide, seu irmão André, entregou o projeto da construção da ferrovia ao Imperador D. Pedro II com a única exigência que na construção da grande obra de engenharia não fosse utilizada mão-de-obra escrava. E assim foi feito!!!!

Esse é um passeio de dia inteiro, e, ao chegar em Morretes, reserve algumas horas para conhecer o charmoso centro histórico da cidade, almoce em um dos restaurantes típicos da cidade que servem o prato mais tradicional da região, o barreado.

Converse com os moradores e conheça um pouco mais da história do lugar, como surgiu e como é preparado o barreado, conheça a história das palmeiras imperiais plantadas na praça principal da cidade por D. Pedro II, cada uma em homenagem a cada um dos seus irmãos. Palmeiras essas que vieram do Jardim Botânico do Rio de Janeiro.

Prove os sorvetes dos sabores locais como o de banana ou o de gengibre e bata perna entre as lojas de artesanato e souvenir locais, assim como as barraquinhas de doces, cachaças e licores.

DICA 1 – Vista-se em camadas, pois conforme o trem vai descendo a Serra do Mar em direção a Morretes, a temperatura vai subindo. Morretes costuma ser uma cidade bastante quente (bem diferente de Curitiba). Verifique na previsão do tempo e cogite ir de bermuda, shorts, saias e vestidos nos dias mais quentes.

DICA 2 – A volta de Morretes pode ser feita de van, táxi ou ônibus de turismo. Combine com o motorista ou compre sua passagem de ônibus para depois das 17h, que dará tempo suficiente de você almoçar e conhecer os principais atrativos da cidade. Se você optar por voltar de ônibus de turismo, pode comprar online pelo site da Viação Graciosa.

Ponta Grossa – Parque Vila Velha e Buraco do Padre

Ponta Grossa fica um pouco distante de Curitiba, mas se você estiver de carro vale muito a pena fazer um bate-volta, para conhecer duas atrações incríveis que tem na região.

Saindo de Curitiba e pegando a BR-376, após 92km, aproximadamente uma hora e meia, você estará na entrada do Parque Vila Velha, o ideal é que você chegue um pouco antes da abertura do parque, às 9h da manhã, para aproveitar bastante.

Dedique pelo menos umas 3 horas para conhecer as formações rochosas que fazem lembrar taças de vinho, furnas, cavernas e a Lagoa Dourada.

Localização: Clique aqui e abra a localização no Google Maps
Entrada: R$42,00 para brasileiros – Compre Aqui
Funcionamento: Todos os dias, exceto às terças – Das 9 às 17h.

Ao sair, no máximo às 13h, pegue o carro e coloque no GPS “Buraco do Padre”. Serão mais 30km de percurso, em aproximadamente 45 minutos.

Não se preocupe, chegando ao Parque Buraco do Padre até as 14h, dá tempo de conhecer a formação geológica que dá nome ao parque, tirar várias fotos e ainda percorrer uma trilha para ver a parte de cima do buraco e tomar um banho de cachoeira.

Nessa mesma trilha que leva para a parte de cima do buraco e à cachoeira, fica também a Fenda da Freira, outra atração do parque.

Por questões de proteção ambiental e preservação das características naturais da fenda, a visitação é controlada e guiada por biólogos ou turismólogos, portanto essa atração precisa ser agendada e é paga a parte, vinte reais.

Localização: Clique aqui para abrir a rota no Google Maps.
Entrada: R$30(inteira) e R$15(meia)
Funcionamento: De quarta a domingo das 9 às 17h.

Lapa

Lapa é uma pequena cidade da região metropolitana de Curitiba e está separada da capital paranaense por 80 km de excelentes estradas.

A cidadezinha de aproximadamente 50 mil habitantes tem um centro histórico muito bem preservado, gastronomia de lamber os beiços e muita, muita história.

Saindo de Curitiba, você deve pegar a BR-376 e em seguida a BR-476 e, em uma hora e vinte minutos de percurso você estará adentrando a cidade.

Logo na saída da BR, você vai avistar do seu lado esquerdo, o Monumento aos Tropeiros. Mais alguns metros na avenida principal da cidade você verá o letreiro metálico escrito Lapa com um coração e ao lado, o Centro de Atendimento ao Turista.

Pare por ali para se informar sobre os atrativos da cidade e pegar um mapinha com a localização de cada um deles. Se você quiser, pode assistir a um vídeo contando um pouco sobre a história da cidade.

A cidade de Lapa ficou famosa pelo Cerco da Lapa, evento histórico, onde os lapeanos em número muito inferior ao Exército da Revolução Federalista, em uma batalha heróica e sangrenta resistiu por 26 dias ao avanço dos Maragatos, como eram chamados os federalistas.

Embora tenham saído derrotados e tenham negociado uma rendição, a resistência dos lapeanos enfraqueceu o Exército Federalista, que imaginava que passaria por Lapa em apenas 48 horas.

Com o enfraquecimento e a duração da batalha(26 dias), houve tempo para que o governo de Marechal Floriano se fortalecesse e recebesse ajuda dos Estados Unidos para dar fim ao avanço dos Maragatos e da Revolução Federalista.

Assim como qualquer evento histórico, pode ser contado pelos dois lados e com diversas versões. E, depois de estudar a história, você pode decidir qual dos lados tinha razão, mas é óbvio que na Lapa, todas as histórias que você ouvir, serão exaltando a bravura e resistência dos lapeanos. Justo!

Com o mapinha em mãos, decida o que irá conhecer, mas seguem abaixo as principais atrações da cidade:

  • Casa Vermelha
  • Teatro São João
  • Museu Histórico General Carneiro
  • Praça General Carneiro
  • Igreja Matriz de Santo Antônio
  • Museu das Armas 
  • Santuário de São Benedito – maior igreja dedicada ao santo no mundo
  • Panteon dos Heróis
  • Casa Lacerda
  • Gruta do Monge
  • Estação Ferroviária.
  • Coxinha de farofa – iguaria típica da região (indico provar a do Bar do Panteon, ao lado do momento de mesmo nome)

DICA 1 – Para visitar o Teatro São João, o Museu Histórico e o Museu das Armas, você paga ingresso único no valor de R$3 (inteira) e R$1,50(meia). Guarde o ingresso depois da primeira atração que você visitar.

DICA 2 – A Casa Lacerda tem entrada no valor de R$4,00(inteira) e às terças-feiras tem entrada gratuita. Vale muito a pena a vista, o casarão histórico tem seu interior, objetos e móveis muito bem preservados.

DICA 3 – Almoce no restaurante Espaço Único, ao lado da Igreja Matriz de Santo Antônio, bem na meiuca do Centro Histórico. A comida é deliciosa e o buffet livre é somente R$28,00. Prove a canjiquinha (no Paraná é chamada de quirera), o torresmo, a berinjela tipo uma caponata e tantas outras delícias. No buffet de sobremesas, a minha preferida foi o pé de moleque de colher. 

Onde se hospedar em Curitiba

Curitiba tem uma rede hoteleira muito bem servida, mas os bairros que eu mais recomendo para hospedagem são o Centro e o Batel.

O Novotel Batel Curitiba tem exatamente essa localização, no Batel, mas muito próximo ao Centro.

Na área próxima ao hotel você encontrará o Shopping Curitiba (450m). Na esquina, somente a alguns passos encontra-se a Confeitaria Holandesa, uma das mais tradicionais da cidade. Um quarteirão abaixo encontra-se o Hard Rock Café Curitiba, a 550 m do hotel.

Sem contar uma infinidade de cafés, restaurantes, bares, shopping centers e algumas atrações da cidade que podem ser alcançadas com alguns minutos de caminhada.

O Novotel Curitiba Batel conta ainda com estacionamento (pago a parte), wifi, ar condicionado central, recepção 24 horas, kids club para crianças de 3 a 6 anos, restaurante peruano premiado dentro do hotel, lavanderia, bar, academia e salas de reunião. Ah, o hotel é pet friendly (consulte as condições)

Onde comer em Curitiba

Curitiba, naturalmente como uma cidade grande, tem opções para todos os gostos, bolsos e paladares, portanto eu vou falar somente dos restaurantes que eu já fui em Curitiba.

Bistrô da Bibi 

Restaurante de comida saudável, com boas e criativas opções de pratos quentes, saladas e sopas. Os chás e sucos também são uma delícia.

Onde fica: Rua Nilo Peçanha, 1.398 – Bom Retiro

Pata Negra

É um restaurante de culinária espanhola com decoração mexicana.Das duas vezes que estive lá achei a comida boa, mas nada espetacular. Da primeira vez comi uma paella e na segunda um bife de chorizo com risoto de brócolis com muito gosto de manteiga e pouca cara de risoto. A salada de entrada foi sofrível.

O ponto alto do restaurante são os churros, deliciosos, sequinhos e com recheio farto. A decoração, com objetos retrô, caveiras, imagens de santos também é bem bacana (inspiração mexicana). Na minha segunda visita tinha algum vazamento no banheiro, com uma grande poça em volta do mictório e forte cheiro de urina.

Eu tenho simpatia pelo restaurante, espero que eles resolvam os problemas.

Onde fica: Rua Fernando Simas, 23 – Bigorrilho

Q-Ceviche

O restaurante fica dentro do Hotel Novotel no bairro do Batel, tem culinária peruana e tem apresentação dos pratos simplesmente impecáveis. Destaque para o tartar de salmão, a salada crocante, o ceviche de linguado e a bebida chicha morada.

Onde fica: Rua Dr. Pedrosa, 288 – Batel

Banoffi

Não tive a melhor das impressões quando estive no restaurante, uma vez que o prato principal veio antes da entrada e os funcionários estavam bem enrolados, mas a refeição foi satisfatória. A sobremesa típica inglesa, o famoso Banoffi ou Banoffee, estava uma delícia.

Onde fica: Rua Itupava, 1.094 – Alto da XV

Cantina do Délio

Polenta com almôndegas é o prato mais tradicional, eu acho! Foi o que eu provei e estava uma delícia.

Onde fica: Rua Itupava, 1.094 – Alto da XV

Spaghetto

Cantina italiana bem decorada e aconchegante próxima ao Centro de Curitiba. Faz fila para almoços nos finais de semana. Estive lá uma vez para um jantar e outra para um almoço. Adorei as massas e o ponto da carne. Destaque para o penne à Carbonara, o melhor que já comi até hoje.

Onde fica: Rua Visconde do Rio Branco, 1.302 – Centro

Mangiare Felice

É um dos restaurantes mais famosos de Curitiba, tem três endereços na cidade, além de estar presente também em São Paulo e Balneário Camboriú. Especializado em massas e pizzas. Tem preços honestos e pratos bem servidos.

Marcolini

O Marcolini na verdade é uma padaria e confeitaria, mas serve pratos de massas, omeletes, entre outros. É satisfatório. Vale para um almoço se você estiver com pressa e de passagem por ali. Cannolis deliciosos.

Onde fica: Av. Dr. Carlos de Carvalho, 1.181 – Batel

Gianfranco

O Gianfranco é um restaurante de culinária italiana no sistema de rodízio, fora da área turística de Curitiba, fica no bairro Jardim das Américas. A comida não é ruim, mas também não é maravilhosa, mas o ambiente é tão aconchegante e o atendimento tão gentil que valem a menção aqui e, quem sabe, uma próxima visita.

Onde fica: Rua Senador Batista de Oliveira, 155 – Jardim das Américas.

Armazém Santa Ana

Outro restaurante que fica fora da região turística, esse fica no bairro de Uberaba e tem mais cara de botecão do que de restaurante. Na verdade é um armazém que vende queijos, linguiças, doces etc… em uma construção de madeira bem antiga e a noite funciona também como bar. 

Apesar do bar cheio, o atendimento foi rápido e gentil, os preços são bem em conta e as porções beeeem generosas. Nós pedimos um prato com linguiça, pirão de bacon e mais um monte de coisas, que três pessoas não aguentaram comer.

O que eu mais vi nas outras mesas é um prato que leva o nome de carne de onça (mas não é de onça) e parece um kibe cru (mas não é kibe cru)…risos. Vou experimentar de uma próxima vez e conto aqui.

Onde fica: Av. Senador Salgado Filho, 4.460 – Uberaba

Como se locomover 

Curitiba tem um sistema de transporte bem eficiente, mas que funciona quase todo em linhas retas, o que às vezes faz com que você precise pegar dois ou três ônibus, dependendo do destino.

O que mais aconselho, principalmente se você estiver viajando em duas ou mais pessoas, é que alugue um carro ou se desloque pela cidade de UBER.

Ah, caso você se hospede no Batel ou no Centro, você poderá fazer muitas coisas a pé. Consulte um mapa e vá caminhar.

Curitiba é uma cidade relativamente segura e tem temperaturas agradáveis para uma caminhada quase o ano todo.

Vida noturna em Curitiba

Bom, como não é muito a minha praia, vou deixar aqui alguns links de sugestões de vida noturna em Curitiba.

Balada Certa

Viajali

Topview

Fui Ser Viajante

Quero Viajar Mais

Virtual Trip

Dicas do Nosso Brasil

Quando ir/ Melhor época para conhecer

De janeiro a janeiro não esqueça de levar pelo menos um casaco para Curitiba! Nunca duvide dessa dica.

Os meses com menores índices pluviométricos (quando chove menos) são: abril, maio, junho, julho e agosto. Portanto, esses são os melhores meses para conhecer a cidade.

No entanto, esses também são os meses mais frios. E para quem tem pavor de frio, escolha outra época, ou se agasalhe bem.

Nos meses do meio do ano, apesar do frio intenso, quando o dia está bonito, é muito agradável fazer passeios diurnos ao ar livre. Já a noite, ou você se aquece no seu hotel, vai a algum shopping ou em qualquer restaurante com aquecedor (quase todos têm).

DICA IMPORTANTÍSSIMA: Não interessa se você está vindo de Teresina, Cuiabá, Rio de Janeiro, Foz do Iguaçu ou Campo Grande em fevereiro e na sua cidade está fazendo 42ºC à sombra, sempre leve algum casaco para Curitiba. Always!!!!!

Como se vestir/ O que levar para 

Curitiba é uma cidade elegante, onde as mulheres se maquiam e fazem escova para buscar o jornal na porta de casa…risos.  Sendo assim você não vai querer ser o diferentão ou a diferentona e sair de Havaianas e moletom com temperaturas abaixo dos 10ºc né.

Brincadeiras à parte, sim, as pessoas em Curitiba, em sua maioria, andam bem vestidas, portanto é a sua oportunidade de usar aquele monte de roupas de frio que você compra e quando cai uma gota de chuva na sua cidade, você vai correndo usá-la. Em Curitiba, de fato você vai precisar.

Para eles

  • Calças jeans, de sarja ou de alfaiataria.
  • Polos
  • Camisas de botão de manga longa
  • Pulôveres, cardigans e suéteres
  • Blazers
  • Jaquetas jeans
  • Jaquetas de couro
  • Sobretudo
  • Lenços e cachecóis
  • Sapatos sociais
  • Botas e coturnos
  • Calça legging para usar por baixo nos dias mais frios
  • Calça de moletom para dormir
  • Bermuda para dias quentes
  • T-shirt para dias quentes

Para elas

  • Botas de cano alto
  • Boinas e gorros
  • Lenços, echarpes e cachecóis
  • Calça legging
  • Calças jeans ou de couro
  • Vestidos longos
  • Jaquetas jeans, de sarja ou de couro
  • Vestidos leves para dias quentes
  • Blazers

IMPORTANTE: Boa parte dos passeios em Curitiba é ao ar livre, não esqueça de levar FILTRO SOLAR e usar ao menos no rosto, orelhas e mãos, mesmo nos dias mais frios.

Alguns passeios serão no meio da mata, e, dependendo do horário e do clima você poderá ser atacado(a) por mosquitos, portanto lembre-se também de levar um REPELENTE.

Remédios/ Hospitais/ Seguro

Curitiba é uma cidade bem servida de hospitais públicos e particulares e o sistema de saúde de lá funciona melhor que muitas outras capitais brasileiras, portanto essa não deve ser uma grande preocupação por lá.

Remédios é sempre bom levar aqueles de uso regular e que necessitam de receita.

Faça a cotação do seu seguro viagem, clicando no banner abaixo.

PERVIAMO5

Segurança

As atrações turísticas, em sua maioria, estão sempre bem vigiadas pela Polícia Militar ou pela Guarda Municipal.

Durante o dia é tranquilo caminhar por quase qualquer lugar da cidade.

No entanto por ser Brasil e uma cidade grande, devemos ter os mesmos cuidados que em outras capitais: não ostentar jóias e relógios chamativos, não ficar andando com o celular na mão, principalmente à noite e na beirada das vias, não caminhar à noite por lugares desertos, não levar desconhecidos(as) para para seu hotel.

Enfim, todos aqueles cuidados que qualquer brasileiro, morador de metrópole já sabe. 

Curiosidades de Curitiba

  • Assim como no Rio de Janeiro que faz aniversário em uma data, mas festeja e é feriado em outra, no dia do padroeiro, Curitiba faz aniversário dia 29 de março, mas comemora e é feriado no dia da padroeira Nossa Senhora da Luz dos Pinhais em 08 de setembro.
  • Curitiba é a capital mais fria do Brasil. No inverno, as temperaturas podem chegar abaixo de zero nas manhãs mais geladas.
  • Também é a capital mais alta do Brasil, são 935 metros acima do nível do mar.
  • É a capital brasileira com o menor índice de analfabetismo.
  • Quase tudo em Curitiba tem mais de um nome. É nome, sobrenome, apelido. A famosa Avenida das Torres só existe no imaginário popular, o seu nome é Avenida Comendador Franco, mas o Google Maps já a reconhece como Avenida das Torres.
  • Bosque do Papa também é conhecido como Bosque João Paulo II ou Memorial Polonês
  • Unilivre é também Universidade do Meio Ambiente ou Bosque Zaninelli
  • Memorial Ucraniano ou Parque Tingui
  • Museu Oscar Niemeyer, MON ou Museu do Olho
  • Bosque Alemão ou Bosque João e Maria
  • Peça 1kg de salsicha e muita gente não vai saber o que é. Na cidade, o embutido se chama vina.
  • O curitibano tem fama de caladão e pouco educado e tem um linguajar bem peculiar. Tem até um canal no YouTube, chamado “Tesão Piá” que eles fazem piada desse jeito do curitibano.
  • Em 2016, a UNESCO elegeu a cidade uma das 15 mais bonitas do mundo (listas são sempre polêmicas…risos)
  • Em 2010 recebeu o título de cidade mais sustentável do mundo.
  • Ainda em 2010 foi agraciada com o título mais verde da América Latina
  • Já em 2015 foi considerada uma das cidades mais limpas do mundo.
  • Em 2014 recebeu a alcunha de cidade mais nublada do Brasil. Ok, isso não é muito motivo de orgulho.
  • Na década de 90 também foi chamada de Capital Ecológica.
  • Também na década de 90 o emblemático narrador esportivo Silvio Luiz, criou um bordão chamando a cidade de “Curitiba, a capital modelo”.

Telefones úteis

  • Atendimento ao turista – (41) 3350-6456
  • Polícia Militar – 190
  • Bombeiros – 193
  • SAMU – 192
  • Delegacia de turismo – (41)3326-3600
  • Polícia Rodoviária Federal – 191

Bom, esse foi mais um super post com todas as informações que um turista busca quando quer conhecer um novo destino.

Se você chegou até aqui e gostou do post, deixe um comentário aí embaixo. Se ficou com alguma dúvida, pergunte lá também.

Espero que tenha ajudado e que seu passeio por Curitiba seja espetacular.

Abraço.

Jason Brum

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.